• Confraria Da Folia

A juventude na tradicional onça negra

Rafael Saraiva, o carnavalesco mais jovem no grupo Ouro, conta a sua experiência de 8 carnavais na Acadêmicos de Gravataí. Fotos: Kellory Moraes/Confraria da Folia


Aos 22 anos, Rafael Saraiva já acumula experiência de gente grande no carnaval. Desde 2013, ele integra a comissão de carnaval da Acadêmicos de Gravataí e também já conta com participação no carnaval de São Paulo, em 2019, quando conheceu e colaborou no trabalho da Tom Maior, escola da elite do carnaval paulistano. A convite do Confraria, ele contou um pouco de como funciona o trabalho numa comissão de carnaval e a sua relação com a escola da onça negra.


Rafael Saraiva, carnavalesco da Acadêmicos de Gravataí. Foto: Kellory Moraes

CONFRARIA: Quem é Rafael Saraiva e como começou a sua história com o carnaval? Já foi dentro da Acadêmicos?


RAFAEL: Tenho 22 anos, sou estudante da Moda e um apaixonado pelo carnaval. A minha história com o carnaval começou em meados de 2005, na época a Rede Globo estava exibindo a novela Senhora do Destino. O carnaval era muito presente na trama, e eu, com sete anos de idade na época, ficava fascinado pelo que via, e tentava reproduzir com os meus brinquedos os carros alegóricos e fantasias... Desde então comecei a acompanhar o Carnaval pela TV, até que em 2010 recebi um convite para integrar uma ala do Império da Zona Norte. Foi uma sensação única, os ensaios, muambas, e grande o dia, o desfile! De lá pra cá, não parei mais, desfilando também pela Praiana e União da Vila do Iapi, em 2013.

Em 2013 também, tive a minha primeira experiência profissional com o Carnaval, integrando a Comissão de Carnaval da escola de samba Rosa Dourada, de Canoas, onde pude contribuir para o primeiro campeonato da escola. Neste mesmo ano cheguei na Acadêmicos de Gravataí através de um convite do meu amigo e padrinho de Carnaval, Tom Viana. Na onça negra me encontrei e por ela me apaixonei.


CONFRARIA: Há uma divisão de tarefas dentro da comissão de carnaval da escola? Porque não é apenas pensar o enredo da escola, mas também de todo o processo de construção do carnaval, a parte artística, elaboração do conjunto visual...



Comissão de Frente d Gravataí em 2020. Foto: Kellory Moraes

RAFAEL: Dentro do Gravataí, a comissão de Carnaval sempre é composta por um integrante de cada seguimento da escola, (presidente, diretor de Carnaval, diretor de marketing, diretor de destaques, carnavalesco, figurinista e temista), a fim de que a comissão elabore o desfile da escola como um todo, envolvendo todos os quesitos. Mesmo que cada um exerça a sua função, tudo é decidido em conjunto, da escolha do Tema enredo à parte plástica da escola.


CONFRARIA: Hoje vocês são a única escola que abre seletiva para escolher o enredo. Como funciona a atuação da comissão de carnaval neste aspecto: ela tem autonomia para propor ideias também ou se restringe na avaliação das propostas e desenvolvimento do tema escolhido?


RAFAEL: A seletiva para a escolha do tema enredo é aberta a todos, incluindo os integrantes da comissão de Carnaval, que normalmente colocam seus enredos em pauta. Mas, independente da proposta escolhida, o enredo é totalmente repensado pela comissão de Carnaval, deixando a proposta com a identidade de cada um. Exemplo, o enredo de 2017 em homenagem ao centenário do Chacrinha, onde utilizamos apenas a ideia da homenagem e a pesquisa apresentada, a proposta final foi elaborada por nós.


CONFRARIA: Recentemente, você teve a experiência de atuar dentro de uma escola de samba em São Paulo, a Tom Maior, do Grupo Especial. Como surgiu o convite e o quanto desta experiência foi aplicada aqui na Acadêmicos?


RAFAEL: O convite surgiu através do amigo e destaque da escola, o Cláudio Renato, que já acompanha o nosso trabalho há algum tempo. Wagner (Augusto Silveira) e eu tivemos a oportunidade de acompanhar o desenvolvimento de cada setor do barracão da escola, além de sermos muito bem recebidos por todos da equipe. O que nos chamou muito a atenção foi a organização da escola, e a forma como o trabalho de barracão é conduzido. Muito do que nós vimos, buscamos aplicar em nosso dia a dia no barracão. Por outra lado, também observamos muitas coisas em comum de um Carnaval para o outro, claro, cada um dentro da sua realidade.


CONFRARIA: O que mais te chamou atenção nos pontos em comum entre o carnaval de Porto Alegre e o de São Paulo?


RAFAEL: A forma como são reutilizadas as peças e materiais de um Carnaval para o outro, também como as soluções plásticas apresentadas pelo carnavalesco para realizar o projeto em decorrência do orçamento ser inferior ao que seria necessário. Assim visualizamos muitas técnicas e ideias que podem ser aplicadas aqui, adequando-as a nossa realidade.


CONFRARIA: A Acadêmicos de Gravataí ficou por 2 anos sem desfilar (2018 quando não houve desfile e em 2019, ano do chamado "Carnaval da Resistência"). Como a comunidade enfrentou esse período afastada da folia?


RAFAEL: Como sambistas apaixonados, sabemos o quanto é difícil não desfilar, ou tomar a decisão de não participar. Esse período de 2 anos foi um momento no qual nos reservamos a unir as nossas forças para organizar a escola e se reestruturar para fazer um grande trabalho em 2020.



CONFRARIA: O 5º lugar de 2020 foi bastante comemorado pela escola, tido com um resultado muito satisfatório. Vocês esperavam este desempenho?


RAFAEL: Particularmente falando, eu não esperava um 5° lugar. Fui começar a tomar ciência do tamanho do nosso trabalho ao ver a escola armada na concentração. Realizar o Carnaval 2020 foi uma missão quase impossível. Confesso que por diversos momentos eu imaginei que não iríamos conseguir. Pra mim, em especial, foi o meu maior desafio profissional. Por outro lado, eu sempre acreditei na minha equipe, na minha comunidade e na força do nosso Enredo, o "Kilombo" nos representou, em todos os sentidos, e na apuração se consagrou com as notas máximas.


CONFRARIA: Como é ser hoje o mais jovem carnavalesco na elite do carnaval de Porto Alegre?


RAFAEL: É uma realização pessoal do menino que brincava de Carnaval lá atrás, que sempre sonhou com esse momento. É um amadurecimento profissional que se constrói a cada Carnaval, a cada dificuldade que aparece. É também um grande motivo orgulho, em ter o privilégio de defender esse pavilhão que eu tanto amo e que me fez ser quem eu sou hoje, o Rafael Saraiva, carnavalesco da Acadêmicos de Gravataí.



CARNAVAL 2021 DA ONÇA NEGRA JÁ COMEÇOU


A Acadêmicos de Gravataí abriu, em final de março, a seletiva para escolher o enredo do carnaval 2021. Clicando AQUI, você conhece todos os detalhes de como participar.


UM SITE DESENVOLVIDO PELA EQUIPE CONFRARIA DA FOLIA 

Receba nossas atualizações via e-mail

© 2023 POR ESPECIALISTA SOCIAL. ORGULHOSAMENTE CRIADO COM WIX.COM

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now