• Confraria Da Folia

Bambas, União da Tinga, Praiana e Mocidade: os destaques da primeira noite de Festival de Sambas

Evento aconteceu na sexta, na quadra da Restinga e durou por toda madrugada.


Em grande estilo começou o Festival de Sambas de Enredo do carnaval 2022 de Porto Alegre. Dez escolas de samba se apresentaram na primeira noite de competição, trazendo novamente o brilho de um dos eventos mais tradicionais do nosso carnaval. Odir Ferreira foi o mestre de cerimônias, conduzindo as apresentações das escolas.


Academia de Samba Cohab Santa Rita e Mocidade Independente da Lomba do Pinheiro se apresentaram pela Série Bronze. A tricolor de Guaíba apresentou o samba "É Preciso Ter Coragem" (Alisson Santiago, Vini Vila, Mamau de Castro, Marcelo Trindade, Ramão Justo e Lukinhas Garcia), abrindo a noite de shows. A Mocidade adentrou a pista de apresentações com um show mais coeso comparado à coirmã de Guaíba. Com o samba na ponta da língua, a Mocidade fez bonito, cantando com muita animação.


Os pavilhões da Copacabana. Foto: Édy Dutra/Confraria da Folia

Pela Série Prata, se apresentaram Copacabana, Academia de Samba Puro, União da Tinga, Academia de Samba Praiana e Unidos da Vila Mapa. A Copacabana apresentou o samba "A Sereia Homenageia a Ancestralidade Negra de Porto Alegre - Mestre Borel" (Andy Lee, Lucas Donato, Roberto Nascimento e Victor Nascimento), com grande destaque para a Bateria dos Bacanas, comandada pelo mestre Junior Medina. A Academia de Samba Puro trouxe em seu show a exaltação à resistência negra, com o samba "Os Porões da Escravidão Escorre o Sangue dos Negros que Escreveram Seus Nomes na História" (Marcelo Kará e Cássia Nakamura).


Academia de Samba Praiana e União da Tinga foram destaques do Prata na sexta-feira.
Fotos: Édy Dutra/Confraria da Folia

União da Tinga e Academia de Samba Praiana fizeram as melhores apresentações do Prata na noite. Tanto a escola do pavão, cantando sobre a democracia na vida da capital, com o samba "Todo Poder Emana do Povo: Democracia, União e Participação!" (Alexandre Vale, Paulo Visgo e Cristiano Brocuá), quanto a verde e rosa, que falou sobre o próprio carnaval da cidade no samba "Ode à Folia no Porto da Alegria" (Vinicius Brito, Vinícius Maroni, Fábio Canalli e Saimon), trouxeram shows bem vistosos, com sambas na ponta da língua dos integrantes e baterias que levantaram o público.


Encerrando as apresentações da série Prata, a Unidos da Vila Mapa apresentou o samba "Do Museu do Percurso Negro vem Minhas Raízes Africanas. Sou Mais Porto Alegre Minha Eterna Morada" (Zeca Swinguinho e Chocolate).


Iniciando as disputas pela Série Ouro, Bambas da Orgia fez a melhor apresentação da noite. Com o grupo show coeso e cantando o samba com força e continuamente - um dos requisitos de avaliação - a azul e branco mostrou porque foi a vencedora no último festival e que deseja manter o título no ninho da águia. Bateria e harmonia conduziram de forma segura o show dos Bambas. Apresentação irretocável da escola que cantará as mães sagradas de Porto Alegre, Iemanjá e Nossa Senhora Mãe de Deus, através do samba "No Sagrado e no Profano, Sob as Benções de Maria e Iemanjá" (Gustavinho Oliveira, Rafael Tubino, Diego Nicolau, Max Lopes, Diego Bodão e Charles Silva).


Harmonia Musical dos Bambas da Orgia. Foto: Édy Dutra/Confraria da Folia

A União da Vila do IAPI foi a segunda escola do grupo a se apresentar. A tricolor da zona norte, que levará para a avenida a história do Príncipe Custódio com o samba "Na Locomotiva da Cultura Popular fiz Porto Alegre Minha Morada. O Príncipe Negro de Ajudá é Força, Raiz e Fé - IAPI, Batuque, Axé" (Claudio Russo, Waltinho Honorato, Tico do Gato, Vitor Alves e Zeca Swinguinho), promoveu um momento de muita emoção, com o retorno da porta-bandeira Suelene Neves para carregar o primeiro pavilhão ao lado de Evandro Ferraz. Suelene, que hoje também é primeira porta-bandeira da Acadêmicos da Rocinha, no Rio de Janeiro, retorna à Vila após seu último desfile, no vice-campeonato de 2017.


Encerrando a primeira noite, o Estado Maior da Restinga entrou na pista de shows com muita energia. Evandro Medina e Tinga lideraram o canto da tricolor da zona sul, que apresentou o samba "A Restinga de Alma e Coração, Canta a Redenção na Porto Alegre da Minha Paixão" (Marcelo Pujol, Thayson Marques, Jonathan Correa, Barcelos, Leo Machado, Nian Vieira, Rodrigo Fileh e Henrique Trezeguet).


Para a segunda noite de apresentações, que acontece na quadra da Imperatriz Dona Leopoldina, 11 escolas defenderão seus sambas, a partir das 22h. Ao final, serão revelados os sambas vencedores em cada um dos 3 grupos (Bronze, Prata e Ouro). O público também poderá votar no seu samba favorito, através da enquete no site da Cuboplay, a produtora do carnaval 2022 de Porto Alegre. Para votar, você pode CLICAR AQUI.


Confira abaixo algumas imagens das apresentações da primeira noite de Festival.


Fotos: Édy Dutra/Confraria da Folia (Créditos das fotos da Academia de Samba Cohab Santa Rita e Mocidade Independente da Lomba do Pinheiro: TamuJuntoRS)