• Confraria Da Folia

Brilhou a Prata da casa

Escolas do grupo de Acesso surpreendem na Mostra de Sambas. Vila Isabel, Império do Sol e Praiana são destaques da noite.


A noite do último sábado, 16, foi de grande festa na quadra da Copacabana. A Mostra de Sambas das escolas da Série Prata reuniu 9 escolas de samba e mais uma tribo carnavalesca, em evento que primou pela organização e controle de horário. O público pagante poderia ter sido maior. As escolas do Acesso carecem do prestígio da comunidade carnavalesca, o que precisa ser revisto, já que estamos em um momento de retomada do carnaval da cidade e todas as escolas, independente do grupo a qual pertencem, são importantes neste processo. Confira abaixo como foram as apresentações:


FIDALGOS E ARISTOCRATAS


A Fidalgos abriu a noite de apresentações mostrando que está muito bem disposta a brigar pela vaga à elite. A escola realizou uma apresentação coesa, com destaque para o novo casal de mestre-sala e porta-bandeira, Evandro Ferraz e Simone Ribeiro. A bateria Cadência do Fifi também deu seu recado, mantendo vigorosa a apresentação da escola.


IMPÉRIO DO SOL


Atual campeã do Grupão, a Império do Sol reeditará o samba de 2010, um dos clássicos da escola. Com um grupo show numeroso e vestidos dentro da temática afro do enredo, a Império soube preencher bem o espaço de apresentações e cantou forte seu samba. Willian e Jéssica, primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, mostraram segurança no trabalho da dupla que se formou para este carnaval.


Grupo show da Império do Sol. Foto: Confraria da Folia

ACADEMIA DE SAMBA PURO


Desfilando como convidada em 2019, a Samba Puro foi a terceira escola a se apresentar na Mostra, cantando o teatro. Andy Mendonça, intérprete da escola, manteve animada a apresentação da escola da Maria da Conceição. Ponto alto do show, a bateria Cadência do Morro provou porque é uma das mais marcantes do carnaval, colocando o público para sambar ao som dos clássicos da escola.


ACADEMIA DE SAMBA PRAIANA


A arena de apresentações ficou verde e rosa com a chegada da Praiana. Com um dos sambas mais bonitos do carnaval, a Praiana realizou uma exibição na mostra, com destaque para seus pavilhões: Andréia, primeira estandarte; e Marcos e Tairine, primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira. O grupo show bem vestido e numeroso contribuiu para o belo conjunto da escola na apresentação. A bateria, comandada pelo mestre Nenê, também merece destaque, ao lado da harmonia de Leandrinho LV, que conduziu o samba de forma primorosa.


Corte da bateria da Praiana. Foto: Confraria da Folia

TRIBO OS COMANCHES


Única tribo a participar do carnaval de 2019, Os Comanches apresentaram-se com energia. Completando 60 anos neste ano, a tribo da taba de Urupá levou porta-estandartes, casais de bailarinos, comissão de frente e bandeirista para sua exibição. Mestre Cláudio Machado (Jaguarema) comandou a bateria, que sustentou muito bem a apresentação do hino "Um Tema para Lino e Jacira", cantado na voz de Maurício Magalhães (Arapuã).


REALEZA


Realeza foi a quinta escola a se apresentar. A exibição da Realeza foi modesta, comparada às demais escolas da noite. Destaque para o belo samba enredo da escola, que cantará Dandara no carnaval de 2019 (a escola manteve o enredo de 2017).


UNIDOS DA VILA MAPA


Vice-campeã do Grupão, a Vila Mapa manteve enredo e samba de 2017 para este ano, sobre o champanhe. A harmonia musical de Bruno Martins e a bateria de mestre Rafael foram o grande destaque da escola. O intérprete, que estreia na escola, cantou o samba com maestria, mantendo animada a apresentação do escorpião da zona leste.


UNIDOS DE VILA ISABEL


A Vila Isabel realizou a melhor apresentação da Mostra. A escola trouxe um numeroso grupo show, muito bem vestido e cantando o samba a plenos pulmões. A bateria de mestre Joubert e a harmonia de Leandro Bittencourt deram ainda mais força à pomba branca de Viamão. A escola valorizou mais o samba no pé do que a dança dos seus pavilhões, que pouco participaram. Porém, ao fazerem, mostraram beleza, sincronia e segurança no bailado. Ainda sim, o conjunto da Vila Isabel se mostrou acima das demais escolas, apontando que ela se afirma como favorita na disputa pela vaga à elite do carnaval.


Andrei e Juliana, primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da Vila Isabel. Foto: Confraria da Folia

UNIÃO DA TINGA


Penúltima escola a se apresentar, a União da Tinga fez uma apresentação correta, porém, o samba, de difícil compreensão, não foi cantado pelos integrantes da escola. Daniel e Rochele, mestre-sala e porta-bandeira, e a bateria foram os destaques da apresentação.


COPACABANA


Encerrando as apresentações da noite, a Copacabana apresentou o samba "Sou Nagô... Na Bahia Cheguei... Da Culinária Brasileira Participei!", mantendo também o enredo de 2017 para o carnaval de 2019. O destaque da apresentação ficou por conta da bateria do mestre Brandon, que manteve firme a cadência do show da sereia.


Saldo positivo


Passava um pouco mais das 5h da manhã e a Mostra de Sambas se encerrava, com saldo positivo. As escolas cumpriram o horário e a organização do evento funcionou de forma eficiente, tanto no espaço para imprensa quanto no fluxo de pessoas circulando nos bastidores para dar suporte às apresentações.


No calendário do carnaval, não há previsão de novos eventos para as escolas da Série Prata. Mas elas mostraram que estão dispostas a contribuir ainda mais no crescimento do carnaval de Porto Alegre. Resta ao grande público abraçar junto.


UM SITE DESENVOLVIDO PELA EQUIPE CONFRARIA DA FOLIA 

Receba nossas atualizações via e-mail

© 2023 POR ESPECIALISTA SOCIAL. ORGULHOSAMENTE CRIADO COM WIX.COM

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now