• Confraria Da Folia

Confira a sinopse da Praiana para 2020

Escola comemora seis décadas de história no próximo carnaval.


Foto: André Oliveira

A verde e rosa segue a todo vapor na preparação para o seu carnaval de 2020, quando completa 60 anos de história. Após a contratação de Mestre Estevão, a Praiana já se organiza para dar o pontapé em suas atividades preparatórias ao desfile.


A escola havia anunciado o enredo “Pra Não Dizer que Não Falei das Flores” como título provisório. Agora, a escola da presidente Jacira Costa lança oficialmente sua sinopse com o título definitivo “No Jardim do Carnaval, a Mais Formosa Flor: Em Verde e Rosa, um Buquê de Amor”. O samba deverá ser encomendado, como fez no último carnaval. Confira abaixo a sinopse da Academia de Samba Praiana para o carnaval 2020.


No Jardim do Carnaval, a Mais Formosa Flor: Em Verde e Rosa, um Buquê de Amor


1º Setor – E Deus Criou as Flores...


O nada. Do nada, o início de tudo. Da junção dos quatro elementos, a vida! Água, terra, fogo e ar, embalados pela fascinante magia divinal, fazendo surgir um novo mundo. Nas águas, as primeiras formas de vida, o primeiro jardim. Submerso, algas, corais, microvida...

Cubra-se a terra de vegetação”.

E foi assim que, ao Terceiro Dia, Deus criou a nossa flora, fazendo brotar sobre a terra o mais vívido colorido. Imensos campos exibiam as mais belas flores, delicadas, grandiosas, exóticas, perfumosas.

A natureza a desabrochar no imenso jardim. Éden, o Paraíso. Flores que enfeitaram o feminino, perfumaram o doce encanto de Eva. Pétalas que testemunharam os rastros da tentação.


2º Setor – Florescendo na Mitologia e nas Civilizações


De tempos em tempos, as flores garantiram seu espaço na vida das civilizações. Seja como adorno decorativo ou como símbolo de poder. Sim, uma flor singela pode representar a altivez de um império ou a pureza milenar de uma doutrina religiosa. As flores trazem consigo a herança mitológica. Deuses representam todas as suas facetas, o clima, o germinar, o florir das vastas terras. Tudo tem significado, entrelaçado com o que há de mais mítico para um povo.


São elas que trazem no seu exotismo o despertar dos mais profundos sentimentos. Vitalidade, alegria, devoção. É com flores que ofertamos, aos pés de nossos santos, as nossas preces. São elas que navegam em pequenos barquinhos nos mares e rios, que enfeitam altares, que perfumam templos e avenidas, num banho de cheiro sem igual.


3º Setor – Um Buquê ao Mundo


Brotam na terra e na mente de grandes artistas. Inspiração na arte, música, poesia. Brotam no coração dos apaixonados, nas datas comemorativas ou nas despedidas, sejam elas breves ou eternas. Giram suas pétalas nas cantigas infantis e no literato.


Elas simbolizam ideais de liberdade, de justiça, de paz e amor, num mundo onde foi preciso gritar: abaixo a repressão, não calem nossa voz! Partimos pelas ruas, “caminhando e cantando, seguindo a canção”, lado a lado, armas em punho disparando flores tal qual canhões de revolução. Pela democracia, pela liberdade de expressão, pela valorização da nossa humanidade.


4º Setor – Eterno Amor à Mais Formosa Flor do Carnaval – 60 anos de Praiana


Rosa, a soberana das flores. Rosas, um buquê de amor. Elas não falam, como diria o grande poeta, mas são elas que traduzem num simples gesto o que nossa boca não consegue pronunciar. É amor, inspiração, paixão que ultrapassa os anos, gerações, imortal!


Azul, dourado, verde, rosa... Rosas a florescer na passarela. A revolução em plena avenida, a pioneira, a majestosa campeã. Neste mar de flores, seus cavalos marinhos navegam pela beira da praia, onde dançam Conceição e Janaína na formosa Festa de Reis. São as alegrias da vida revividas no fascinante jardim da folia, onde a nossa mais formosa flor completa seis décadas de encanto e poesia. Saudações à Academia de Samba Praiana, verde que te quero rosa eternamente a florescer em nossos corações e no apogeu do carnaval.


Desenvolvimento:

Édy Dutra

Luciano Maia