• Confraria Da Folia

E o samba ecoou! Bambas da Orgia elege hino 2020

Quatro sambas estavam na disputa para ser a trilha sonora dos 80 anos da azul e branco


Por Leandro Amarante


No clima Pra matar a saudade, a capital gaúcha foi brindada na noite passada (22) com o ecoar dos tamborins altaneiros que anunciavam a final do seu festival de sambas enredo. Bambas da Orgia foi a primeira entidade carnavalesca de Porto Alegre a concluir esse quadro, que já é tradicional e de grande relevância para o seu carnaval.


Quadra cheia na final de sambas do Bambas da Orgia. Foto: Leandro Amarante/Confraria da Folia

O festival, que fora divido em duas etapas (apresentação e final), contou com a contribuição de quatro encantadoras obras de artistas renomados no nosso Estado, além das imponentes parcerias que defenderam os hinos. O ninho da águia começou a movimentação de seu festival seguindo a ordem do sorteio previamente executado pela organização do evento: sambas 3, 4, 2 e 1. Cada samba com seus pontos marcantes aqueciam o coração da torcida azul e de seus destaques que tomavam conta do tablado de apresentações. Para eleger a grande obra que retratará os 80 anos magnos da entidade, um seleto grupo de 16 jurados fora incumbido desta árdua missão.


Com o fim das apresentações e participação do grupo show da entidade, sobe ao palco a plenos pulmões e assume o comando da festa o intérprete Sandro Ferraz, que embarcou todo folião que se fazia presente na quadra na linda e sagaz história de Bambas da Orgia pelos seus carnavais. A novidade deste festival deu-se ainda antes do anúncio do samba vencedor. A explanação do resultado da comissão julgadora foi por apontamento. Com o evoluir das revelações, uma das obras que mais levantou a torcida altaneira acabou sangrando-se campeã com maioria absoluta dos votos.

O vencedor foi o SAMBA nº 2, composição e parceria de Gustavinho Oliveira, Rafael Tubino, Danilo Garcia, Caio Alves, Rafael Tinguinha, Xulé, Diego Bodão, Jadson Fraga, Gigi da Estiva e Thiago Sukata.



Nitidamente extasiados, o coro de intérpretes que participou das apresentações juntou-se ao microfone número 1 da entidade para com sua torcida comemorar mais esta vitória azul e branco. Ao final do evento, Mestre Nilton, presidente da entidade, mostrou-se satisfeito e aliviado com o resultado:


Com todos os impasses que tivemos o nível deste festival me agradou – e muito. Mais esta batalha está vencida!”

Bambas da Orgia, segue em busca da sua 21ª estrela no carnaval 2020, quando contará sua história que culmina na esplendorosa festa dos seus 80 anos. O enredo “Eu sou passado, eu sou presente, eu sou futuro. Saudades... Quem é que não tem?” é obra do temista Pedro Linhares e tem Fabi Ferreira como carnavalesca.