• Confraria Da Folia

Mas samba enredo, só ganha um...

As novidades nas disputas de samba enredo no carnaval carioca.


(*) Por Éder de Barros


“Linda melodia, linda poesia

Não achei defeito algum

Mas samba enredo só ganha um”


Os versos do lindo samba de Wanderley Monteiro na música "Vida de compositor", retratam com requinte e leveza a dura vida de um compositor de sambas enredo que teve a sua obra derrotada na disputa. Uma das fases mais aguardadas do carnaval com certeza é o festival de sambas enredo que define o hino para o desfile. Muito embora este modelo de escolha esteja sendo gradativamente substituído pela alternativa da “encomenda”, a tradicional disputa de Sambas ainda guarda seus vários atrativos e segue sendo muito válida. Porém, para a temporada de 2020, duas das principais escolas de samba do carnaval do Rio de Janeiro, Mangueira e Grande Rio, resolveram reformular os seus regulamentos, a fim de trazer para o concurso mais idoneidade, qualidade, justiça e economia.


Disputa de sambas na quadra da Grande Rio. Foto: GRES Acadêmicos do Grande Rio

O certame musical da tricolor de Duque de Caxias começa no dia 12 de agosto, na quadra da escola e terá como novidade, a pedidos da ala de compositores, a proibição de intérpretes do Grupo Especial nas parcerias. Com isso, Evandro Malandro, cantor oficial da tricolor, vai gravar todas as obras musicais concorrentes. Além desta mudança, a Grande Rio, que no carnaval passado optou pela encomenda de samba, alerta que este ano serão quatro eliminatórias contando a grande final (dia 05 de outubro), sendo as duas primeiras fases sem a presença das torcidas. Tudo com o objetivo, segundo a escola, de tornar a disputa menos desigual.

Conversei com um dos compositores mais vitoriosos do carnaval de Porto Alegre, Vinicius Brito, que acostumado a participar das disputas de samba enredo por aqui, comemorou a mudança ocorrida no carnaval carioca:


São louváveis. Mais do que isso, são absolutamente necessárias. O sistema de escolha de samba-enredo, lamentavelmente, está sob o jugo do poderio financeiro. A linda poesia e a bela melodia não são suficientes. É preciso grandes quantias financeiras que garantam uma gravação profissional, uma torcida grandiosa e impulsionamento nas redes sociais. Isso é uma grave distorção, sem esquecer dos laranjas que assinam samba sem nunca ter feito um verso pelo fato de bancarem a festa. As mudanças propostas por Mangueira e Grande Rio enfrentam esta lógica industrial e democratizam as disputas. Bom para o Carnaval.”

E por falar em Mangueira, a atual campeã do carnaval foi um pouco mais além nas alterações de seu regulamento para a disputa interna. As mudanças que foram elaboradas, com a participação do carnavalesco Leandro Vieira, visam reduzir o desequilíbrio financeiro entre os concorrentes e, neste sentido, para inscrever um samba, cada parceria precisará pagar o valor de R$ 4.800,00. Esta quantia servirá para custear a gravação das obras em estúdio, já que estão proibidas as gravações com intérpretes de outras agremiações, ou seja, somente os cantores da Mangueira irão participar da defesa dos sambas.


Final de samba na Mangueira no último carnaval. Foto: Tribuna Sul Fluminense.

Por fim, como requisitos para a validação da inscrição do samba, as parcerias poderão ser formadas de até 4 compositores, sendo a entrega das letras cifradas e os sambas gravados de forma amadora. Carlos Roberto do Nascimento, outro consagrado compositor do nosso carnaval e calejado em disputas de samba enredo, também comentou a mudança, achando salutar as alterações e comenta:

No meu ponto de vista enquanto compositor em relação a limitação da participação dos cantores de outras escolas, vem de encontro para combater uma coisa que estava se tornando até um abuso daquele pessoal que tem mais condições financeira, que estavam contratando mais de um dos cantores de primeira linha pra defender seus sambas e isso chamava a atenção para os seus sambas e ao mesmo tempo também, diminuía as possibilidades das outras parcerias de trazerem para os seus sambas os cantores que elas gostariam ou estariam dentro de suas possibilidades...então neste ponto essa restrição é boa”


Porém,o compositor faz ressalvas ao que denomina “pacote de alterações da Mangueira”:


Enquanto isso eles vêm cobrando uma taxa de R$ 4.800,00 reais, aí é que eu fico na dúvida né? Se eles querem diminuir o efeito do poder econômico, se caberia cobrar uma taxa, que para certas parcerias isso é pesado, então aí vai continuar tendo a influência do poder financeiro” .

Por fim, Nascimento conclui posicionando-se como músico da seguinte forma:


“Enquanto músico, estas determinações não caem bem, porque elas restringem bastante o mercado de trabalho de atuação tanto dos músicos como dos cantores e isso não é bom, ao passo que se perde um trabalho de uma hora para outra. Ficar sem esse mercado eu não acho uma coisa boa”.


"O samba é um pedaço de nós,

inspirado, feito com amor

caiu, vou consolar o parceiro

primeiro vou controlar minha dor, minha dor

esta é a vida de um compositor


Com os versos de Wanderley Monteiro em mente, entendo que toda tentativa é válida para buscar a escolha perfeita, com o mínimo de interferências externas possíveis. Vale a pena conferir essas eliminatórias! E que vença o mais lindo, até porque: samba enredo, só ganha um.

UM SITE DESENVOLVIDO PELA EQUIPE CONFRARIA DA FOLIA 

Receba nossas atualizações via e-mail

© 2023 POR ESPECIALISTA SOCIAL. ORGULHOSAMENTE CRIADO COM WIX.COM

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now