• Confraria Da Folia

Nego Izolino: Griot do samba, poeta do amor


(*) Por Luiz Augusto Lacerda


"Me apaixonei...

Me entreguei por inteiro..."


Nego Izolino. Foto: Evandoir dos Santos

Poeta que trama as palavras e que emoldura seus versos marcantes em melodias primorosas. Fulguram em suas composições historias de amores avassaladores e tudo o que as relações abarcam: Do brinde aos afetos ás tristezas causadas pelo desabor. Magistralmente enaltece o povo e sua cultura, aliando o lúdico e o real sem que haja conflitos, acariciando o desejo de todos. Tudo isso recebe o nome de Izolino do Nascimento, ou simplesmente Nego Izolino.


"Na calada da noite a fora

A lembrança do amor que outrora existia entre nós

Mas perdido em pensamentos

Relembrando momentos

E peço que escute minha voz..."


No dia 24 de outubro, mais um grande momento em sua carreira. A Sala Eva Sopher, do Multipalco do Teatro São Pedro, foi o palco para que amigos e fãs aplaudissem com fervor o talento incontestável desse grande compositor. No meio de um dia ensolarado fomos agraciados com o show "Nego Izolino: Griot do Samba, Poeta do Amor", que também marcou o lançamento do CD onde o Artífice da Música registra algumas de suas composições mais famosas na companhia de cantores de grande expressão. Nego Izolino em sua simplicidade costumeira foi aclamado do início ao final de sua apresentação, marcada pela emoção não só do grande astro, mas também do público presente que lotou o teatro.


"Sinto a verdade estampada em seu rosto

Mas não queres me dar o desgosto

De revelar que não me amas mais

Sinto que o sofrimento está te torturando

Mas você vai seguir adiando

Meu amor! Assim já é demais..."


O Poeta contou com as luxuosas presenças de Maria Helena Montier, Mariete Fialho, Yara Lemos, Maria da Graça Carneiro e Juliano Barcellos, para que juntos interpretassem alguns de seus sucessos. Todos acompanhados por uma seleção de virtuosos músicos tais como Alemão Charles do Cavaco, Rodrigo Fontoura, Cassiano Miranda, Igor Peres, Dionatan Colvara e Maicon Ouriques. O Bailarino Carlos Henrique, premiado Passista do Carnaval de Porto Alegre apresentou-se durante a execução de uma das músicas, interpretando o personagem cantado na ocasião, o Malandro. A produção musical ficou a cargo da dupla Alemão Charles e Antônio Guaracy Guimarães, tendo como arranjador auxiliar Gilberto Oliveira. A apresentação do evento ficou sob os cuidados do Professor Oscar Henrique Cardoso e ainda a Poetisa Lilian Rocha declamou o poema de Mamau de Castro que homenageia ao grande Griot. A direção geral foi da competentíssima da Cantora Jazzista Marguerite Silva Santos, idealizadora do projeto musical Ébano e Marfim.


"Ôh Nanã Oquê Oquê

Deixa eu vadiar

Imperadores do universo traz seu povo pra avenida

Para sambar e cantar..."


Izolino, compositor de tantos Sambas Enredo, presença constante e respeitada nas rodas de samba, recebe em vida as flores que lhe são de direito pelo conjunto da obra e por toda a contribuição para o cenário cultural do samba e do carnaval.