• Confraria Da Folia

Um novo Império na capital

Império dos Herdeiros fará sua estreia na competição oficial em 2022. Foto capa: Fábio Cruz


Tendo como cores o azul, o branco e o dourado, e uma águia e a coroa como símbolos, a Império dos Herdeiros se prepara para mais um grande desafio na sua história: disputar no carnaval oficial de Porto Alegre. A escola, oriunda da zona leste, possui 10 anos de existência e uma comunidade apaixonada.


Stefano Leandro, presidente de honra da Império dos Herdeiros

O Confraria da Folia conversou com o presidente de honra da Herdeiros, Stefano Leandro, que por alguns anos também foi o comandante da agremiação. Em 2020, a Império dos Herdeiros desfilou como convidada, abrindo o carnaval da capital. Ao longo de sua história, esta foi a primeira vez que a escola desfilou no carnaval de Porto Alegre, já que sempre marcou presença nos desfiles em Viamão.


Leandro contou que a escola comemorou muito a oportunidade de desfilar no Porto Seco no último carnaval, sendo o grande sonho da comunidade. Sobre a expectativa para a apresentação de 2022, ele afirma que será uma etapa muito especial. "Será um momento inesquecível para nós da Império dos Herdeiros. Estamos trabalhando muito para que seja feito desfile inesquecível", salienta.


Desfile Império dos Herdeiros em 202o. Fonte: acervo Império dos Herdeiros

Estreante na Série Bronze para o próximo carnaval, a Império dos Herdeiros foi buscar Pedro Linhares, temista campeão com Bambas da Orgia, para desenvolver o seu enredo junto de Franciele Rocha, que também é presidente da escola. "250 Velas em Procissão - Das Paragens do Riacho à Grande Romaria nas Águas do Guaíba" é o título do enredo que falará sobre uma das manifestações religiosas mais importantes de Porto Alegre, a festa de Navegantes.


Divulgação Império dos Herdeiros

O SOCIAL DO CARNAVAL


Além do seu crescimento dentro das passarelas do samba, a Império dos Herdeiros também se destaca pela sua forte presença fora da avenida, através de seus projetos e ações sociais. Desde oficinas à confecção de máscaras e entregas de marmitas solidárias, que se intensificaram por conta da pandemia da covid-19. "Qualquer escola de samba ou qualquer tipo de agremiação tem que ter um trabalho social dentro do seu bairro, da sua comunidade. Porque a força de tudo é a sua comunidade", destacou Stefano Leandro.


Ação social. Fonte: acervo Império dos Herdeiros